Login

Vídeo Destaque

seminario-mulher-e-midia.jpg
O Controle Social da
Imagem da Mulher na Mídia
Método para abortar com Misoprostol PDF  | Imprimir |
O Método mais seguro para abortar quando a mulher não tem alternativas legais: uso do Misoprostol


Misoprostol pills, used in the second half of the so-called 'overtijdsbehandeling'. Photograph by Nadya Peek. Copyright Women on Waves 2004. / Positive pregnancy test. Image by Lisa Rave. Copyright Women on Waves 2004.

As mulheres que vivem num país onde o aborto é legal e têm a possibilidade de ter um aborto legal e seguro, nunca devem auto-induzir o aborto. Deverão consultar um médico, porque é mais seguro quando o aborto é realizado por médicos experientes.

Nesta página encontrará uma descrição em português de como as mulheres poderão induzir um aborto com Misoprostol. Nós proporcionamos informação sobre o efeito do medicamento, o que as mulheres poderão esperar e sobre as possíveis complicações. Para muitas mulheres por termo a uma gravidez é uma decisão difícil. Se não existirem profissionais de saúde com os quais as mulheres possam discutir este procedimento assim como as alternativas, por isso é aconselhável que fale pelo menos com um amigo ou familiar. Em especial aconselhamos as raparigas mais jovens a discutir esta decisão e procedimento com os pais ou com outros adultos nos quais confiam. As mulheres que usarem este método devem imprimir esta página e lê-la com atenção, procure compreender tudo o que leu.

O Misoprostol provoca contracções do útero. Como consequência, o útero expele o conteúdo uterino.

A eficácia do Misoprostol é de cerca de 85% - 90%.

A mulher deve estar preparada para experienciar alguns efeitos secundários, tais como contracções do útero dolorosas, uma hemorragia mais forte do que durante a menstruação, náuseas, vómitos e diarreia.

Existe o risco duma hemorragia intensa motivo pelo qual a mulher terá de ser vista por um médico.

A experiência física dum aborto provocado pelo Misopostrol é comparável à de um aborto espontâneo.

O aborto espontâneo ocorre naturalmente em 10% das gravidezes

Os riscos de um aborto induzido pelo Misopostrol são semelhantes aos de um aborto espontâneo.

O uso incorrecto do medicamento pode ser extremamente perigoso para a saúde da mulher.

As eventuais complicações são tratadas do mesmo modo que num aborto espontâneo. Se surgir algum problema apode sempre recorrer a um médico. O médico prestará os mesmos cuidados que no caso dum aborto espontâneo. O médico não poderá detectar que o aborto foi provocado pelo Misoprostol, excepto quando a mulher coloca o medicamento na vagina e ainda existem vestígios do mesmo.

No caso da mulher precisar de ir ao hospital, os médicos não estão autorizados a contar à polícia que a mulher tentou abortar, mesmo que a mulher viva num país onde o aborto é considerado como um crime. Contudo, tem ocorrido em alguns países da América do Sul, mas por exemplo em Portugal isto não tem acontecido. Nós recomendamos, se possível, que a mulher procure um médico no qual confia.

De seguida vamos disponibilizar alguma informação importante para todas as mulheres que desejam induzir um aborto. Depois explicaremos mais sobre os procedimentos e os riscos.

O Misoprostol nunca deve ser usado sem aconselhamento médico num país onde o aborto é legal. Nós aconselhamos vivamente a recorrer a um médico ou clínica. È mais seguro.

O Misoprostol só deve ser usado quando a mulher está 100% segura de que quer fazer um aborto.

O Misoprostol nunca deve ser usado após as 9 semanas de gravidez

Quanto mais avançada estiver a gravidez, maior o risco de ter uma hemorragia intensa e surgiram complicações (consultar em baixo).

A mulher nunca deve tentar fazer um aborto sozinha.

É importante que tenha um familiar ou amigo que a possa ajudar durante o aborto no caso de surgirem complicações.
O Misoprostol só pode ser tomado sem supervisão médica quando a mulher não têm qualquer problema de saúde.

A maioria dos problemas de saúde não são problema. Algumas doenças mais graves, tais como anemia severa, podem causar problemas se a mulher usar Misoprostol, pois está envolvida uma grande perda de sangue. Algumas doenças graves justificam a realização de um aborto legal em países com leis do aborto mais restritivas.

O Misoprostol não deve se utilizado se existe o risco duma gravidez ectópica (extra-uterina).

Esta gravidez não se dá no útero. Uma gravidez ectópica pode ser detectada por uma ecografia. Será necessário um tratamento ministrado por um ginecologista para preservar a saúde da mulher.

Os ginecologistas de todos os países tratam as mulheres com esta condição clínica, mesmo nos países onde o aborto é ilegal (ver abaixo).

O Misoprostol não deve ser ingerido por uma mulher que possua um dispositivo intra-uterino (DIU) no seu útero.

Um DIU é um contraceptivo, um pequeno coil de cerca de 3cm que é inserido por um médico no útero da mulher e que preveni a gravidez. Uma mulher que tem um DIU e que está grávida terá de fazer uma ecografia devido ao risco acrescido do surgimento de uma gravidez ectópica. Se a gravidez estiver a ocorrer no útero, é necessário que o DIU seja removido antes de utilizar o Misoprostol.

O Misoprostol só deve ser usado se estiver a poucas horas de viagem de um hospital.

Desta forma e caso surjam complicações, terá ajuda médica próximo de si. O Misoprostol nunca deverá ser utilizado por mulheres alérgicas a Misoprostol ou qualquer outra prostaglandina.

Esta situação é rara e caso ela esteja presente a mulher deverá saber se já usou estes medicamentos e se teve uma reacção alérgica aos mesmos no passado. Se nunca tiver utilizado o medicamento, a mulher não poderá ter experienciado uma reacção alérgica. É possível que a tentativa de aborto com o uso de Misoprostol não seja bem sucedida.

Neste caso, para que possa por termo à gravidez, a mulher terá de viajar até um país onde o aborto seja legal e onde possa ser tratada numa clínica, ou precisa de procurar um médico de confiança que possa realizar o aborto. Existe uma probabilidade acrescida, embora baixa, de deficiências (anormalidades congénitas) na criança se levar a gravides a termo depois de tentar abortar (ver abaixo).

1. O que fazer se uma mulher pensar que está grávida, quer por termo à gravidez e não conhece um médico disposto a ajudá-la?
A informação que apresentamos de seguida pode ser utilizada.
1.1. Se a mulher pensar que está realmente grávida?
Tem de ter a certeza de que a mulher está realmente grávida antes de tentar abortar.
Só é possível confirmar uma gravidez se não surgir a menstruação esperada e depois de fazer um teste de gravidez. Alguns dias depois pode fazer um teste de gravidez. Se o teste for positivo, muito provavelmente está grávida.

1.2. Se possível: a mulher deverá fazer uma ecografia.
Através da ecografia poderá confirmar se a gravidez ocorre no útero e saber de quantas semanas está grávida.
Na maioria das vezes a gravidez dá-se no útero, e o uso do Misoprostol é possível se a mulher não estiver grávida de mais de 9 semanas.

1.3. O que fazer se a mulher estiver grávida à mais de 9 semanas?
Uma gravidez de 9 semanas significa que passaram 63 dias depois da última menstruação. Se uma mulher pensar que a sua gravidez tem mais de 9 semanas, ou se a ecografia mostrar o mesmo, desaconselhamos o uso do Misoprostol, a não ser que a mulher tenha apoio e supervisão médica. O medicamento continua a ser eficaz, mas o risco de uma grande hemorragia, dores fortes e complicações aumenta proporcionalmente ao tempo de gestação.

1.4. Se a ecografia revelar uma gravidez ectópica.
Por vezes a gravidez não ocorre no útero, ocorre nas trompas de falópio. Este é um pequeno orgão que se situa entre o útero e o ovário. Uma gravidez fora do útero, também conhecida como uma gravidez extra-uterina (fora do útero) ou gravidez ectópica. Uma gravidez ectópica pode ser detectada através de uma ecografia.
É necessária a intervenção de um ginecologista. Se não for tratada, existe um elevado risco de uma hemorragia interna devido à ruptura da trompa de falópio. Os ginecologistas de todos os países irão tratar esta gravidez, mesmo nos países onde o aborto é ilegal. Uma gravidez ectópica não pode ser tratada com o Misoprostol.

1.5. Se existir o risco de uma infecção sexualmente transmissível.
Se existir o risco de uma infecção sexualmente transmissível (IST, também conhecida como doença sexualmente transmissível, DST) tal como clamídia ou gonorreia, consulte um médico de forma que receba o tratamento apropriado. O risco de contrair esta uma infecção sexualmente transmissível é aumentado quando ocorreu uma violação ( em quase todos os países a violação é aceite como um motivo para se realizar um aborto legal), ou quando mantém relações sexuais desprotegidas com um desconhecido. Ser portador de uma infecção sexualmente transmissível aumenta o risco de inflamação do útero e das trompas de falópio. Essa inflamação é denominada como doença pélvia inflamatória. (DIP) ou salpingitis ou adnexitis.

2. Como e que uma mulher poderá por termo a uma gravidez
A mulher precisa estar segura que quer por termo à gravidez é a única alternativa possível. Para as mulheres mais jovens, nós aconselhamos que falem com os pais ou com algum adulto em quem confiem.

2.1. Informação geral sobre os medicamentos
Nos países onde o aborto é legal, o aborto médico é realizado com o recurso a dois medicamentos.
O primeiro é a pílula abortiva (conhecida como Mifegyne, Mifepristone, Mifeprex). O segundo medicamento é o Misoprostol.
A pílula abortiva termina a gravidez, e o Misoprostol estimula as contracções uterinas, de forma que o produto da gravidez seja expelido pela vagina. É em tudo semelhante ao que acontece quando a mulher tem um aborto espontâneo.
Nos países em que o aborto não é legal e a pílula abortiva não está disponível. Então pode recorrer-se ao Misoprostol para por termo à gravidez. A taxa de sucesso é 85%- 90%. (quando a pílula abortiva é utilizada em combinação com o Misoprsotol é a taxa de sucesso é superior a 95%). Algumas das designações (marca do medicamento) para Misoprostol são Cytotec e Arthrotec. O Arthrotec é a combinação de um analgésico, Diclofenac, e habitualmente é mais caro.
Um comprimido deverá conter 200 miligramas de Misoprostol, se os comprimidos tiverem uma composição de Misoprostol diferente, a mulher deverá ajustar a dosagem.

2.2. Como obter os medicamentos?
Em diversos países os medicamentos são vendidos pelas farmácias sem receita médica. Por vezes é pedida a receita médica para adquirir o Misoprostol (Cytotect). Provavelmente, conseguirá mais facilmente o Arthotec sem receita. Misoprostol (Cytotec) é um medicamento indicado para as dores no estômago e o Artrotec para as dores nos ossos. Pode pedir esses medicamentos apresentando aqueles sintomas. Certamente, o medicamento será vendido com mais facilidade a um amigo ou companheiro do sexo masculino, ou talvez consiga uma receita médica.

2.3. A mulher não deve estar sozinha
É importante que a mulher não esteja sozinha quando está a abortar. É importante que alguém próximo tenha conhecimento do aborto, seja o companheiro, um familiar ou amigo próximo. Quando a hemorragia começa, alguém deve estar em contacto com a mulher para que a possa ajudar no caso de surgirem complicações.


3.Como funciona um aborto induzido por medicamentos?

3.1. Geral
Após o uso dos medicamentos, a mulher deve ter dores e hemorragias. A hemorragia é frequentemente o primeiro sinal de que o aborto começou. Se o processo abortivo continuar, as dores e a hemorragia deverão aumentar. A hemorragia é geralmente maior que no caso duma menstruação normal, e podem existir alguns coágulos. Quando maior for o tempo de gestação maiores serão as dores e a hemorragia. Se o aborto estiver terminado , a hemorragia e as dores diminuirão.

3.2. Como utilizar os medicamentos?
A mulher não deverá de utilizar mais do que 4 comprimidos de Misoprostol (Cytotec, Arthrotec), num total de 800 miligramas de cada vez. Se os comprimidos não contiverem 200miligramas de Misoprostol, deve ser utilizada a mesma quantidade de Misoprostol.

A melhor maneira de utilizar o Misoprostol ou o Artrotec consiste em colocá-lo debaixo da língua ou no espaço entre a gengiva e a bochecha durante pelo menos meia hora, preferivelmente um pouco mais de tempo.
Se provocarem alguma irritação, encontre um outro localização na boca. Irá decorrer algum tempo até que os comprimidos se dissolvam.

Decorrida meia hora, pode engolir-se o medicamento. Outra possibilidade será colocar o medicamento na vagina, mas se a mulher for assistida no hospital, o médico pode encontrar vestígios dos comprimidos. Em alguns países as mulheres podem ser processadas por provocarem o aborto, e os médicos ou enfermeiros podem denunciá-las se encontrarem vestígios do medicamento.

A hemorragia na maioria das vezes começa algumas 4 horas depois de ingerir os comprimidos, mas por vezes mais tarde.
Se o aborto não ocorrer de forma clara nas primeiras 24 horas, a mulher pode utilizar de novo os comprimidos no segundo dia. O momento do aborto pode ser identificado com o pico na hemorragia, dores e contracções. Dependendo do tempo de gestação pode ser visível ou não uma pequena placenta contendo alguns tecidos em volta. Por exemplo, se a mulher, estiver grávida de 5 ou 6 semanas, a placenta não será visível. Com 9 semanas, a mulher poderá provavelmente encontrar a placenta no meio da hemorragia. Se a mulher não estiver segura de que se deu o aborto, ela poderá tomar mais 4 comprimidos 24 horas depois.

Se uma mulher desejar aliviar a dor poderá recorrer a analgésicos tais como o paracetamol ou o NSAID's (Non Steroidal Inflammatory Drugs) juntamente com o Misoprostol. Como o Artrotec já contem NSAID's, por isso, se for necessário tomar mais analgésicos deve usar-se de preferência o paracetamol.

3.3. Efeitos secundários
O efeito secundário mais comum é a náusea, os vómitos e a diarreia. estes são geralmente mais ténues quando o medicamento é introduzido na vagina.

3.4. Se não houver hemorragia depois do segundo dia
Se no segundo dia e depois de ter tomado os comprimidos ainda não tiver havido hemorragia, pode tomar-se o medicamento pela terceira vez, e deverá pensar em colocar quatro comprimidos dentro da vagina, o mais internamente possível, se ainda não o tiver tentado.

3.5. A mulher deverá certificar-se de que houve aborto
Algumas mulheres sangram sem no entanto terem abortado. Por isso é importante que a mulher tenha certeza de que o aborto aconteceu. Pode demorar duas ou três semanas até que o teste de gravidez se revele negativo. Se possível a mulher deverá fazer uma ecografia para certificar-se de que o útero está vazio.

3.6. A hemorragia pós-aborto
A hemorragia poderá manter-se durante uma a duas semanas após o aborto, por vezes menos, outras vezes mais. O período menstrual deve voltar normalmente passadas quatro a seis semanas depois.


4. Quando procurar o médico

4.1. Se a hemorragia for muito intensa durante várias horas,
Se a hemorragia for muito intensa e não diminuir passadas 2 a 3 horas, poderá significar que o aborto não está completo e que é necessário tratamento médico. Uma hemorragia intensa é aquela que dura mais de 2 a 3 horas ou quando são precisos mais do que 2 ou 3 pensos (para fluxo muito intenso) por hora para absorver o fluxo da hemorragia. Sentir tonturas e desorientada pode também significar perda de sangue em excesso, que é perigoso para a saúde da mulher. A mulher tem ir ao hospital. O tratamento médico irá envolver uma curretagem, também conhecida como aspiração por vácuo: o médico irá esvaziar o útero. No hospital, o médico não pode distinguir entre um aborto espontâneo ou um aborto induzido por medicamentos (a não ser que existam vestígios de comprimidos na vagina), e a mulher não está obrigada a dizer-lho. Os médicos têm a obrigação de ajudar em qualquer circunstância.

4.2. Se o aborto não acontecer
Se não tiver havido aborto, o risco de deformações nas mãos e pés do feto pode aumentar ligeiramente devido às contracções uterinas. Nestes casos, alguns médicos podem possibilitar o aborto legal, tente encontrar um médico que aceite estas razões. Se o aborto não ocorrer depois de mais 7 dias após o uso do Misoprostol, e se nenhum médico estiver disponível para ajudar, não resta outra alternativa para além de viajar até outro país e recorrer a um aborto legal ou então levar a gravidez a termo. O risco de deficiências na criança aquando do nascimento (alterações congénitas) está ligeiramente aumentado, mas não é muito elevado. Exemplos são o clubfoot, ausência de dedos, ou problemas nos nervos da criança.

4.3 Se a hemorragia for muito intensa após o aborto
Uma hemorragia muito intensa (2-3 pensos por hora) que começa durante duas semanas ou mais após o aborto poderá significar que permanecem no útero alguns vestígios do aborto. Esta situação exige um tratamento médico, a aspiração por vácuo (curetagem) de forma a retirar os vestígios. As mulheres devem ir ao hospital mais próximo para procurar ajuda.
Nos países onde as mulheres podem ser indiciadas por prática de aborto, não precisam dizer que tentaram induzir o aborto, poderão dizer que tiveram um aborto espontâneo. O tratamento é o mesmo e o médico não é capaz de distinguir a diferença.

4.4. Se tiver febre
A subida ligeira da temperatura do corpo é um efeito secundário normal quando se toma o Misoprostol assim como arrepios. Contudo se a mulher tiver febre (> 38 graus Celsius) por um período superior a 24 horas, ou se a febre for superior a 39 graus, deve procurar um médico, pois pode haver uma infecção que precisa de ser tratada.


5. Para o futuro
A mulher deve obter contracepção eficaz para evitar uma nova gravidez indesejada. Um dispositivo intra-uterino pode ser colocado por um médico assim que a hemorragia cesse e o teste de gravidez é negativo ou a ecografia mostra um útero vazio.

A contracepção oral também pode ser utilizada assim que cesse a hemorragia, mas pode não ser totalmente eficaz durante o primeiro mês. Utilize outros contraceptivos, tais como preservativos durante o primeiro mês.

Women on Waves is often referred to as the abortion ship or the abortion boat. people mistakenly believe that the names of the abortionship that we use: Aurora, Langenord, Borndiep, are the names of our organisation. abortionboat should be written abortion boat. also the terms diy abortion, do it yourself abortion, internet abortion and pro choice or prochoice are important words in our context. Actually, we are more pro life (prolife?) than many of our religious friends. The pharmaceuticals we use in our mobile clinic are the abortion pill: mifegyne or ru486 and misoprostol or cytotec. Rebecca Gomperts. People sometimes think that we are called woman on waves but that (woman) is singular. We are actually with al LOT of womEn!

Deze site is gemaakt door mediamatic lab. Content management met AnyMeta. AnyMeta? is een contentmanagement systeem voor gebruiksvriendelijk beheer van complexe databases. De vormgeving van het contentmanagementsysteem is mooi en helder en de bruikbaarheid is goed. De inhoud wordt gestructureerd volgens een semantisch netwerk (semantic web RDF ontology) en via automatische associatie altijd in relevante context gepresenteerd. AnyMeta? ondersteunt creative commons licenties en is gemaakt met open source componenten.
Design by Mediamatic   Powered by anyMeta


 
< Anterior   Próximo >
© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.
Mapa do Site
Sardinha17